Realizamos diagnósticos precisos, identificamos as necessidades da empresa, apresentamos e implementamos as soluções viáveis e eficazes de forma a proporcionar estabilidade, segurança e solidez na gestão dos seus negócios, através de um trabalho totalmente personalizado.

Recent Posts

Enorme Consultoria e Serviços, Lda +258 336 4904 enorme@enorme.co.mz
Back to top

Enorme Consultoria e Serviços

  /  Music   /  Entrevistas técnicas não medem de forma eficaz habilidades de codificação de candidatos
a

Entrevistas técnicas não medem de forma eficaz habilidades de codificação de candidatos

Um estudo descobriu que as entrevistas técnicas usadas na contratação de muitos cargos de engenharia de software somente testam a ansiedade durante o desempenho do candidato. Ao invés de analisar se o candidato é competente em codificação, o método padrão mede o nervosismo do candidato em frente a um quadro branco.

Além disso, o estudo da Universidade Estadual da Carolina do Norte e da Microsoft, identificou que as entrevistas também podem ser usadas para excluir grupos ou favorecer candidatos a emprego específicos.

“As entrevistas técnicas são temidas e odiadas na indústria, e acontece que essas técnicas de entrevista também podem prejudicar a capacidade da indústria de encontrar e contratar engenheiros de software qualificados”, diz Chris Parnin, Professor Assistente de Ciência da Computação na NC State e coautor de um artigo sobre o trabalho. “Nosso estudo sugere que muitos candidatos a emprego bem qualificados estão sendo eliminados porque não estão acostumados a trabalhar em um quadro branco na frente de uma audiência”.

As entrevistas técnicas no setor de engenharia de software costumam partir da resolução de um problema dado ao candidato, que precisa escrever uma solução em código em um quadro branco – explicando cada etapa do processo a um entrevistador. Pesquisas anteriores descobriram que muitos desenvolvedores da comunidade de engenharia de software consideravam o processo de entrevista técnica profundamente imperfeita.
Para avaliar o efeito do processo de entrevista nos aspirantes a engenheiros de software, os pesquisadores realizaram entrevistas técnicas com 48 estudantes de graduação e pós-graduação em ciência da computação. Metade dos participantes do estudo recebeu uma entrevista técnica convencional, com um entrevistador olhando. A outra metade dos participantes foi solicitada a resolver seu problema em um quadro branco em uma sala privada.

As entrevistas particulares não exigiram que os participantes do estudo explicassem suas soluções em voz alta e não tinham entrevistadores olhando por cima dos ombros.

Os pesquisadores mediram o desempenho de cada participante da entrevista avaliando a precisão e a eficiência de cada solução. Em outras palavras, eles queriam saber se o código que eles escreveriam funcionaria e a quantidade de recursos de computação necessária para executá-lo.

“As pessoas que fizeram a entrevista tradicional tiveram metade do desempenho e as pessoas que puderam entrevistar em particular”, diz Parnin. “Em suma, as descobertas sugerem que as empresas estão perdendo realmente bons programadores, porque esses programadores não são bons em escrever em um quadro branco e explicar seu trabalho em voz alta durante a codificação”.

Os pesquisadores também observam que o formato atual de entrevistas técnicas também pode ser usado para excluir determinados candidatos a emprego.

“Por exemplo, os entrevistadores podem dar problemas mais fáceis aos candidatos que preferirem”, diz Parnin. “Mas o formato também pode servir como uma barreira para classes inteiras de candidatos. Por exemplo, em nosso estudo, todas as mulheres que participaram da entrevista pública falharam, enquanto todas as mulheres que participaram da entrevista privada foram aprovadas. Nosso estudo foi limitado e seria necessário um tamanho maior da amostra para tirar conclusões firmes, mas a ideia de que o próprio design do processo de entrevista possa efetivamente excluir uma classe inteira de candidatos a emprego é preocupante”.

Além disso, a natureza específica do processo de entrevista técnica significa que muitos candidatos a emprego tentam passar semanas ou meses treinando especificamente para a entrevista técnica, e não para o trabalho real que estavam realizando, segundo os pesquisadores.

“O processo de entrevista técnica oferece vantagens às pessoas com conexões do setor”, diz Mahnaz Behroozi, primeiro autor do estudo e doutorando da NC State. “Mas isso oferece uma vantagem particularmente grande para as pessoas que têm tempo para se concentrar apenas na preparação para um processo de entrevista que tem muito pouco a ver com a natureza do trabalho em si.

“Se o setor de tecnologia puder lidar com todos esses desafios de maneira significativa, fará progressos significativos para se tornar mais justo e inclusivo. Mais ao ponto, o setor estará utilizando um conjunto de talentos maior e mais diversificado, o que contribuiria para um melhor trabalho”, adiciona Behroozi.